Carregando

4 Cyphers femininos para conhecer já

4 Cyphers femininos para conhecer já

A sociedade brasileira ainda possui uma grande carga de preconceitos. A discriminação racial, de gênero, orientação sexual, classe social e religiosa se fazem presentes no dia a dia. 

 

No meio disso tudo, movimentos como o rap buscam expor e combater essas atitudes e pensamentos, principalmente o machismo e homofobia. Cada vez mais, as minas estão se mostrando e registrando seus trabalhos na rua, e os cyphers — reunião de vários artistas em um único som — compostos apenas por mulheres são um dos melhores exemplos da força delas na cena.

 

Por isso, separamos quatro cyphers femininos que chamaram a atenção nos últimos tempos. Com letras que transpiram a melhor essência do que é o rap — um retrato cru e sincero da realidade —, essas mulheres estão contribuindo para a construção de uma sociedade mais evoluída e consciente. Se liga! 

 

 

1. Poetisas no Topo - Mariana Mello | Nabrisa | Karol de Souza | Azzy | Souto | Bivolt | Drik Barbosa

 

Produzido pela Pineapple StormTV, o cypher traz uma banca cheia de nomes em ascensão no rap nacional. A proposta do som é bem linear, com cada MC rimando a sua parte em sequência.

 

O beat é cheio de produção e variações, para aguentar com classe os onze minutos de música. As rimas estão repletas de referências, de Celina Guimarães — considerada como a primeira eleitora do Brasil — até Anne Frank, eternizada por seu diário de relatos durante a segunda guerra mundial.

 

A letra é completa e ataca os maiores preconceitos da atualidade, com punchlines e qualidade na métrica, jogando pro debate o machismo e o racismo. Se liga na ideia da Souto MC, um dos grandes nomes do som:

 

 

“Aos meus foi ferro e fogo, fuga e sufoco

As missa abafando os grito de socorro

Revidamo pouco, recebam nosso troco

Por cada cabocla que cês colocaram pra espancar nos toco

Sua mão não mais me toca, não tô de toca

Conheço as rota, suas conversa não têm mais força na minha oca”

 

 

 

2. RIMA DELA - CYPHER #1

 

RIMA DELA é um projeto do canal Soul Di Rua, que reúne MCs de vários lugares diferentes do Brasa: Jupi77er, Sara Donato, Anarka, Bia Doxum, Brisa Flow, Clara Lima, Alinega e Alt Niss.

 

A mensagem da letra retrata o corre das minas para sustentar a família, enquanto lutam pelo delas, e o sonho de fazer o som virar, em um meio dominado por homens e cheio de barreiras.

 

 

 

3. Cypher "Machocídio"

 

Como o próprio nome já diz, esse cypher é uma resposta a um dos preconceitos mais presentes no dia a dia das mulheres. Realizado pela DMNA Produtora, o som tem a presença das MCs Sara Donato, Issa Paz, Luana Hansen, e Souto MC.

 

O beat é um boombap de alta classe, que levanta a voz e deixa a mensagem ainda mais forte, combinando cem por cento com o flow agressivo aplicado pelas minas. A mensagem chama atenção para a cena do rap que, por vezes, não dá espaço para as MCs.

 

 

Se afoga no seu ego, óh estúpido machista!

Agora é só rajada dessas mina terrorista

Admita que tá bolado, afinal cê já deu brecha

Quando escolheu os macho pra tocar na sua festa

Me ensinando o que eu já sei, manipulando as ideias

Oprimindo as companheiras com seus macho de plateia

 

 

 

4. Slam das Minas part. Drik Barbosa - Trincheira #ElasSim

 

Esse som é lançamento de casa, produzido em collab entre a LAB e o coletivo Slam das Minas SP, grupo formado por Luz Ribeiro, Mel Duarte, Pam Araújo, Jade Quebra e Carol Ambulante. Para quem não sabe, slam é um tipo de batalha de poesia que expressa as experiências e lutas pessoais.

 

Com uma estética diferenciada, esse cypher é quase uma declamação, um protesto em forma de súplica. Os trechos lentos são mesclados com um refrão de funk. O feat é completado com uma parte da Drik Barbosa, que fecha o som com um flow impossível de não notar.

 

 

Revide proteção

Escrita viva é munição

Mulher, palavra pro mundo

É quem dá direção

 

 

Num tempo em que cyphers estão sendo produzidos a todo momento, muitas sem coesão, a qualidade do som das minas merece atenção. Mais do que uma mistura desordenada de artistas, essas músicas trazem uma mensagem que, em pleno 2019, ainda é muito necessária.

 

Conhece mais cyphers femininos? Manda o papo nos comentários!

 

Comentários

Deixe seu Comentário

Categorias